Exclusivo – Esquema de Marketing multinível atraí de famosos a pessoas comuns para criar disfarce para pirâmide financeira

Por Vanessa Rezende e Nathália Mello, Do G7 On

07/04/2021 | 6h

“Se você quer ter um novo trabalho em casa,
usando apenas o seu celular,
ganhar ganhos verdadeiramente reais, podendo ultrapassar os R$ 60 Mil por semana, preste atenção pois vou te ensinar como.
Siga o meu perfil, e venha ganhar muito dinheiro apenas trabalhando de sua casa, fazendo seus horários e usando somente seu celular!”

A tentadora proposta circula em dezenas de vídeos e stores do Instagram e Facebook.
E chegaram ao conhecimento do G7 On através da denúncia de colaboradores e leitores do Portal.
Pessoas que viram o esquema e desconfiaram logo de cara, de sua idoneidade.
O que torna tudo mais persuasivo, não é somente as palavras e o forte marketing usado, para fazer lavagem cerebral nas pessoas,
mas quem são as pessoas que indicam, os idealizadores do projeto.

Artistas, influenciadores de opinião no universo Online, modelos.
São diversas celebridades e personalidades que aparecem nas redes sociais, com fotos que mostram o quanto as pessoas que estão indicando, foram beneficiadas com esse esquema,
e que o próximo pode ser você.

Há, diversos artistas que estão nessa.
Não se sabe se por ingenuidade, ou realmente para obter vantagem financeira.
O que se sabe é que o esquema é sofisticado, e muito convincente.

A empresa em questão é uma plataforma digital, Eduzz, usado para vendas.
A princípio se trata de uma marca legítima sem qualquer problema aparente que se pudesse desconfiar.
Pessoas podem se cadastrar na plataforma para vender seus produtos, ou para comprar o que já é vendido.
Tudo parece legítimo.
Mas há uma categoria oculta de pessoas, treinadas para vender os produtos que a Eduzz oferece.
É exatamente aí, que o Marketing Multinível vira pirâmide financeira.
Os vendedores Online, ganham comissão por cada venda de um produto que indiquem e que as pessoas comprem.
Mas o que mais comissiona, são as pessoas que entram no esquema e compram o próprio curso de treinamento da Eduzz.
Um curso que é feito, através de treinamento Online de Marketing, com a média de custo de R$ 297,00.

Cada pessoa precisa, pagar esse valor para entrar, e ganhar números exorbitantes de dinheiro depois.
O que é ilusório e irreal.
Esse tipo de prática além de criminosa, não existe.
As pessoas recebem pequenos valores a medida que mais gente entra no esquema.
Alguns números que são maquiados ou impulsionados pelo número de gente que o esquema atraí, exatamente pela colaboração dos artistas na fraude.
Mas não passa disso, fraude.

Um esquema de pirâmide é crime no Brasil.
E a todo tempo os treinadores da Eduzz, fazem questão de frisar que não se trata de uma pirâmide.
Mas de acordo com o código de leis do Brasil, a descrição é exatamente essa.
Apesar de disfarçado pelo Marketing, a palavra correta é pirâmide financeira.
Para o sujeito B ganhar seu dinheiro, ele precisa atrair mais pessoas a participar como ele, que foi indicado pelo sujeito A.
Deste modo o A ganha um valor amais, por cada pessoa que o B trouxer.
O problema desse tipo de negócio é que a longo prazo, o sistema não consegue pagar altos valores para todos.
Aqueles que estão no topo da cadeia, recebem mais,
aqueles que se esforçam para trazer novos membros, demoram a subir e conseguem menos.
Até o sistema ruir e não conseguir se estabilizar.

Milhões de pessoas já caíram no golpe no Brasil, que se sofistica mas que tem a mesma essência em qualquer que seja a empresa usada.
Um esquema para enganar pessoas.
Que caem, por desatenção, por desespero.
As vezes uma pessoa que necessita muito daquele dinheiro, acaba dispondo do único recurso que tem, para ganhar mais.
Não é o que acontece.

O G7 On procurou a Eduzz, e pelo menos 3 influenciadores e treinadores da plataforma.
Ao nos identificarmos, nem um deles respondeu aos questionamentos feitos pelo Portal.

Os números que todos exibem nas telas de seus celulares, nos saldos bancários,
são ilusórios demais para que sejam realidade, e isso é claro.
O que é preciso entender e saber, é o que artistas, de renome nacional, estão ganhando com as indicações que fazem para os treinadores da pirâmide.
Dinheiro, benefícios, ou só estão sendo mais uma vítima do golpe aplicado.

Nos perfis dessas celebridades, são milhares de comentários.
95% das pessoas confiam, porque o artista de quem são fãs, indicam.
E prometem participar da pirâmide, apesar do valor cobrado.
Especialista em Direito Criminal, a Procuradora Federal Laura Mello, explica que nem um esquema que promete ganhos absurdos pode ser legal.
E que as pessoas devem desconfiar, de qualquer empresa, artista ou personalidade, que prometa altos ganhos em pouco tempo de trabalho.